O PLD no setor energético brasileiro

Em algum momento da sua vida, você já viu ou leu algo a respeito do Preço de Liquidação das Diferenças, conhecida como PLD, certo? Esse indicador econômico é extremamente importante para o setor elétrico e a gente explica o motivo.

O valor da energia elétrica transacionada entre os agentes do setor energético no mercado de curto prazo, conhecido como mercado spot, é calculado para cada hora do dia seguinte com base na oferta e demanda de energia no sistema interligado nacional. Essa é uma das principais funções do PLD.

Neste artigo, você vai conhecer e saber como funciona o indicador. Acompanhe:

O que é o PLD?

O PLD é um indicador usado no Brasil para determinar o preço da energia elétrica no mercado de curto prazo. Ele representa o valor monetário que as distribuidoras e consumidores pagam ou recebem pelos contratos de energia que possuem em relação à energia efetivamente consumida ou gerada.

O indicador também é utilizado como referência para diversos contratos e transações no mercado elétrico brasileiro, influenciando a viabilidade econômica de projetos de geração de energia, o comportamento dos agentes do mercado e a segurança do abastecimento elétrico.

PLD no mercado

Já mencionamos no início, mas é importante frisar que este indicador é essencial no setor energético, pois ele representa o valor monetário que as distribuidoras e consumidores pagam ou recebem pelos contratos de energia que possuem em relação à energia efetivamente consumida ou gerada.

O PLD é, também, essencial para determinar o preço da energia elétrica com base na oferta e demanda. Essa característica incentiva a eficiência na produção e consumo de energia.

Outro fator que indica a relevância do indicador é seu impacto à segurança do fornecimento de energia, influenciando a entrada ou saída de agentes do mercado e a manutenção do equilíbrio entre oferta e demanda.

Afinal, como é calculado o PLD?

O PLD é calculado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o setor responsável por gerenciar e operacionalizar o mercado de energia elétrica no Brasil. Ele representa o custo marginal de operação do sistema elétrico. Em outras palavras, o aumento do custo adicional de geração de energia elétrica para atender à demanda por eletricidade em determinado momento.

O preço é fundamental para a operação do mercado elétrico, pois reflete as condições de oferta e demanda de energia em tempo real. Quando o PLD está alto, indica escassez de energia, incentivando a entrada de mais geração ou a redução do consumo. Por outro lado, quando está baixo, indica abundância, o que pode incentivar a redução da geração.

Uma série de variáveis deve ser levada em consideração na hora de calcular o PLD. Nelas incluem:

  • a disponibilidade das diferentes fontes de geração de energia;
  • os custos de combustível;
  • a demanda prevista;
  • as condições hidrológicas dos reservatórios das usinas hidrelétricas.

Como funciona?

Por meio de um complexo processo, se determina a eletricidade precificada pelo PLD, que leva em consideração uma série de fatores e variáveis relacionadas à operação e ao funcionamento do sistema elétrico.

O primeiro passo deve ser feito determinando o cálculo do Custo Marginal de Operação (CMO), que é o custo de geração de energia elétrica. Esse procedimento representa o custo adicional para produzir uma quantidade a mais de energia em determinado momento. Ele é calculado com base nos custos variáveis de operação das diferentes fontes de geração de energia, como usinas hidrelétricas, termelétricas e eólicas.

O segundo passo deve levar em conta as condições hidrológicas dos reservatórios das usinas hidrelétricas, pois elas têm um impacto significativo no cálculo do PLD. Em períodos de seca, quando os reservatórios estão com níveis baixos, o custo de geração de energia elétrica tende a ser mais alto, devido à necessidade de acionar usinas térmicas mais caras para suprir a demanda. Em contrapartida, em períodos de chuvas abundantes, o custo de geração tende a ser mais baixo.

O terceiro passo envolve a previsão de demanda de energia elétrica e a disponibilidade das diferentes fontes de geração. Esses fatores também são considerados no cálculo do PLD. A oferta e a demanda de energia são equilibradas para determinar o preço de mercado da eletricidade.

O quarto passo é determinar o PLD por patamar de carga (horários de pico e fora de pico) e para cada submercado do sistema elétrico brasileiro. Isso significa que o preço pode variar ao longo do dia e em diferentes regiões do país.

Uma vez determinados os PLDs para cada patamar de carga e submercado, a CCEE calcula uma média ponderada desses indicadores para obter o PLD final, que é utilizado para liquidação financeira das operações realizadas no mercado de curto prazo.

O processo de determinação da eletricidade do PLD é contínuo e dinâmico, sendo recalculado semanalmente pela CCEE com base nas informações e previsões disponíveis sobre o sistema elétrico.

Neste link, você encontra mais informações, inclusive uma simulação do cálculo do PLD.

Indicador importante

Em resumo, o PLD é um indicador fundamental no mercado de energia elétrica no Brasil, pois influencia diretamente os preços e as transações realizadas pelos agentes do setor elétrico, garantindo a eficiência e a segurança do sistema elétrico como um todo.

Leia também:

O QUE É TSDU E TE NA SUA CONTA DE ENERGIA ELÉTRICA

POR DENTRO DOS GRUPOS DE CONSUMIDORES E BANDEIRAS TARIFÁRIAS NO SETOR ELÉTRICO

Faça sua simulação
pelo Whatsapp